Notícias

Loading...

sexta-feira, 29 de julho de 2011

FEIRA HIPPIE - PMGO e GM reduzem drasticamente os índices de criminalidade

Desde o dia 17 de março do corrente ano, a Polícia Militar do Estado de Goiás e a Guarda Municipal de Goiânia vêm atuando juntas no policiamento preventivo e ostensivo na maior feira a céu aberto da América Latina, a Feira Hippie.

A Feira Hippie, localizada na Praça do Trabalhador, entre a Av. Independência e Av. Goiás, em Goiânia, recebe todos os domingos, segundo a “Associação dos Feirantes”, uma média de 70 (setenta) mil pessoas de várias partes do Brasil, inclusive do exterior. Já nas vésperas do Natal, esse número pode chegar a 150 (cento e cinqüenta) mil pessoas.

A feira é composta por 19 (dezenove) quadras, sendo mais de 7.700 (sete mil e setecentos) bancas. Segundo a “Associação dos feirantes”, a feira é um dos maiores geradores de empregos do Estado, sendo 14 (catorze) mil empregos diretos e 45 (quarenta e cinco) mil empregos indiretos.

Esta parceria entre as duas forças de segurança visa coibir os furtos e roubos no interior da feira e na área externa, proporcionando maior tranqüilidade e segurança para aqueles que freqüentam o local.

Os números confirmam os bons frutos dessa união, onde a abrangência do policiamento foi aumentada cerca de 60% (sessenta por cento). Nos dias de hoje, praticamente todas as quadras conta com uma dupla, sendo um policial militar e um guarda municipal. Antes da parceria, era registrada aos domingos uma média de 80 (oitenta) furtos de carteiras, celulares e outros objetos, após a união das duas forças de segurança, esse número foi reduzido para menos de 10 (dez). Além de não ter sido registrado nenhum roubo.

Os números demonstram que a parceria entre a Polícia Militar e a Guarda Municipal de Goiânia reforça a capacidade de prover segurança e bem estar ao cidadão, proporcionando uma melhor qualidade de vida a todos, onde a população só tem a ganhar.



Fonte: 1°CRPM/CPC - Postado por: Soldado - Jônathas Jordão - CPC - 28/07/2011
Fotos: Plantão CPC Notícias - Cláudio Utida

segunda-feira, 25 de julho de 2011

NOTA DE PESAR

Através do Blog “realidadegcmdeplanaltinago”,  venho deixar minhas condolências e sinceros sentimentos de tristeza pelo falecimento do filho do nosso amigo GCM Gilson Machado, e do filho do Sargento PM Alcântara. Deixo aqui meu sentimento de solidariedade à família, e que Deus possa confortá-los neste momento tão difícil.

Alex Araújo

quinta-feira, 14 de julho de 2011

A GUARDA MUNICIPAL DE UBERABA/MG TAMBÉM JÁ FAZ USO DE TASER

Imagem ilustrativa

A Guarda Municipal de Uberaba, na Região do Triângulo Mineiro, começou a usar no dia 15 junho as pistolas que emitem descargas elétricas, para combater o crime na cidade. Ao todo, cerca de 100 guardas passaram por um treinamento de aproximadamente um mês para utilizarem as armas não-letais. A corporação recebeu 100 armas, chamadas Taser, que foram importadas dos Estados Unidos e custaram cerca R$ 350 mil.

O objetivo do novo equipamento é trazer mais segurança para a população. Cada guarda recebeu uma arma e três cartuchos. Após o disparo, o cartucho pode alcançar até 10 metros de distância. As pistolas possuem um chip de memória em que todas as ações são armazenadas. As armas funcionam com oito pilhas e a carga é suficiente para 100 disparos.

Segundo a Guarda Municipal de Uberaba, o uso da arma não tira a responsabilidade dos usuários quanto à forma de agir diante das ocorrências. Depois de cada disparo, o guarda deverá fazer um relatório sobre o que motivou do uso da arma e descrever a ação.

Fonte: G1

GUARDA MUNICIPAL DE FORMOSA RECEBE ARMA TASER

A política de desarmamento e utilização de armas não letais do Ministério da Justiça e Secretaria Nacional de Segurança Pública está a todo o vapor. A mais recente força de segurança agraciada foi a Guarda Municipal de Formosa que recebeu no dia 20 de junho, 25 armas Tasers para sua atuação. Vale ressaltar que Formosa aguarda receber 1 milhão de reais do Ministério da Justiça para executar todo o projeto referente à nova Guarda Municipal idealizada na gestão do prefeito Pedro Ivo. Enquanto os recursos, que já foram empenhados, mas não foram liberados, não chegam, a Prefeitura juntamente com o GGIM/Formosa capacita os guardas municipais, já foram mais de 300 horas de cursos. A aquisição deste equipamento demonstra que a Guarda de Formosa será promissora. 

Fonte: Blog da GMUF

quarta-feira, 13 de julho de 2011

COMANDO DA GUARDA MUNICIPAL DE CRISTALINA/GO CONSEGUE DOAÇÕES ATRAVÉS DE PARCERIA COM A RECEITA FEDERAL

Fonte da foto: Prefeitura de Cristalina/GO
 Mais uma parceria, este é o resultado do empenho do Comandante da Guarda Municipal de Cristalina/GO,  Luiz César Marques, que em contato com a Receita Federal de Ponta Porã/MS, firmou mais uma grande parceria, trazendo mais materiais para serem usados em prol dos cidadãos cristalinenses. Desta vez vieram mais de 1,5 milhões em materiais, sendo dois veículos seminovos e pneus de vários tamanhos. Os veículos serão usados para compor a frota da GMC e ajudar no combate de práticas ilícitas, e os pneus serão usados nos veículos da prefeitura municipal, que apoiou a parceria realizada entre a Receita Federal e o Comando da GMC. O material doado pela Receita Federal é fruto de apreensões do tráfico e contrabando. Mais uma vez os integrantes da Guarda Municipal agradecem ao Comando da GMC pelo empenho que dedica a esta instituição, um trabalho sério que rende bons frutos a cada dia. Parabéns pelo trabalho Comandante Luiz César Marques.

Fonte: Blog da GMC

O ASSÉDIO MORAL É UM MAL A SER COMBATIDO


1. Deterioração proposital das condições de trabalho.

- Retirar da vítima autonomia.
- Não lhe transmitir mais as informações úteis para a realização de tarefas.
- Contestar sistematicamente todas as suas decisões.
- Criticar seu trabalho de forma injusta ou exagerada.
- Privá-la do acesso aos instrumentos de trabalho: telefone, fax, computador...
- Retirar o trabalho que normalmente lhe compete.
- Dar-lhe permanentemente novas tarefas.
- Atribuir-lhe proposital e sistematicamente tarefas inferiores às suas competências.
- Atribuir-lhe proposital e sistematicamente tarefas superiores às suas competências.
- Pressioná-la para que não faça valer seus direitos (férias, horários, prêmios).
- Agir de modo a impedir que obtenha promoção.
- Atribuir à vítima, contra a vontade dela, trabalhos perigosos.
- Atribuir à vítima tarefas incompatíveis com sua saúde.
- Causar danos em seu local de trabalho.
- Dar-lhe deliberadamente instruções impossíveis de executar.
- Não levar em conta recomendações de ordem médica indicada pelo médico do trabalho.
- Induzir a vítima ao erro.

2. Isolamento e recusa de comunicação.

- A vítima é interrompida constantemente.
- Superiores hierárquicos ou colegas não dialogam com a vítima.
- A comunicação com ele é unicamente por escrito.
- Recusam todo o contato com ela, mesmo o visual.
- É posta separada dos outros.
- Ignoram sua presença, dirigindo-se apenas aos outros.
- Proíbem os colegas de lhe falar.
- Já não a deixam falar com ninguém.
- A direção recusa qualquer pedido de entrevista.


3. Atentado contra a dignidade.

- Utilizam insinuações desdenhosas para qualificá-la.
- Fazem gestos de desprezo diante dela (suspiros, olhares desdenhosos, levantar de ombros...).
- É desacreditada diante dos colegas, superiores ou subordinados.
- Espalham rumores a seu respeito.
- Atribuem-lhe problemas psicológicos (dizem que é doente mental).
- Zombam de suas deficiências físicas ou de seu aspecto físico; é imitada ou caricaturada;
- Criticam sua vida privada.
- Zombam de suas origens ou nacionalidade.
- Implicam com suas crenças religiosas ou convicções políticas.
- Atribuem-lhe tarefas humilhantes.
- É injuriada com termos obscenos ou degradantes.

4. Violência verbal, física ou sexual

- Ameaças de violência física.
- Agridem-na fisicamente, mesmo que de leve, é empurrada, fecham-lhe a porta na cara.
- Falam com ela aos gritos.
- Invadem sua vida privada com ligações telefônicas ou cartas.
- Seguem-na na rua, é espionada diante do domicílio.
- Fazem estragos em seu automóvel.
- É assediada ou agredida sexualmente (gestos ou propostas).
- Não levam em conta seus problemas de saúde.

Se você sofre qualquer tipo de assédio moral como os relacionados acima, procure a CIPA, sindicato, associação ou um advogado e faça valer seus direitos. 

Fonte: Blog da GM de Cristalina